Rondonopolis

Governo de MT diz que concessão de aeroporto Marinho Franco impulsionará economia regional

Agora é oficial. O aeroporto Maestro Marinho Franco, conforme o UniversoMT já havia anunciado, há alguns meses, será mesmo concedido para a iniciativa privada a administrar. O aeroporto de Rondonópolis está incluso na lista de 13 terminais que estão inclusos no Programa Nacional de Desestatização – PND, estabelecido pelo governo federal para ampliar a relação entre Estado e iniciativa privada.

A confirmação veio na publicação do Diário Oficial da União, que circulou nesta quarta-feira (25). Em Mato Grosso, além do Marinho Franco, foram inclusos os aeroportos de Sinop, Alta Floresta, Barra do Garças e o principal do estado, o Marechal Rondon, em Várzea Grande, na grande Cuiabá. O governo do Estado comemorou a medida, pois vislumbra que irá contribuir para melhoria da infraestrutura dos terminais e estimular o crescimento da economia.

Os cinco aeroportos do Estado inclusos no PND devem ser leiloados em bloco. “Estuda-se que o vencedor da concessão do Marechal Rondon converta o valor da outorga (que seria paga a União) em investimentos na melhoria dos quatro regionais”, explicou, por meio da assessoria, o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Transportes – Consetrans e secretário estadual de  Infraestrutura e Logística de Mato Grosso, Marcelo Duarte,

Segundo ele, a concessão à iniciativa privada administrar estes terminais aeroportuários, por tempo determinado, além de melhorar a infraestrutura deles, contribuirá para impulsionar o crescimento da economia mato-grossense.

“Economia de Mato Grosso vai crescer com a concessão destes aeroportos, que são estratégicos para impulsionar o desenvolvimento regional”, disse Duarte, acrescentando que acredita que estes aeroportos irão passar por uma verdadeira “revolução, pois poderemos ter, até mesmo, uma empresa internacional operando no estado, dando um novo padrão de qualidade às nossas unidades e aos serviços prestados aos passageiros”, completou.

VALDEQUE MATOS | Redação 

Fonte:VALDEQUE MATOS | Redação | 27/10/2017