Sinop

Após 3 anos de espera, aeroporto recebe licença ambiental para operar em Sinop

Após três anos de espera, foi entregue oficialmente pela secretaria de Estado e Meio Ambiente (Sema), à prefeitura de Sinop, a licença ambiental de instalação e operação do aeroporto João Batista Figueiredo. O documento tem validade de cinco anos e vencerá em 2022.

 

Rosana Martinelli recebe licen�a ambiental do chefe regional da Sema de Sinop, Sandro Depin�

Rosana Martinelli recebe licença ambiental do chefe regional da Sema  Sandro Depiné

Vários fatores foram analisados para que um relatório fosse emitido pela Sema. Entre as demandas estavam a desativação do lixão, readequação da cerca em torno o terreno, regularização dos resíduos no local, entre outras que foram apresentadas.

O chefe regional da Sema em Sinop, Sandro Depiné, explica que o processo estava paralisado desde 2014, quando foi emitida a licença provisória. “Essas listas de pendências foram expostas e a prefeitura cumpriu, por isso a entrega das licenças.”

A prefeita Rosana Martinelli (PR) argumenta que era necessária essa licença para dar continuidade no processo de certificação de operação visual para operações via instrumentos. “Para que possamos receber novas companhias e novos voos”, pondera.

No entanto, esse foi um dos passos para a regularização total do aeroporto. Na próxima semana uma equipe do Cindacta IV estará em Sinop para realizar uma 2ª vistoria no aeroporto para que ocorra a homologação final da Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA), que contribui com os pilotos quanto a situações adversas, como o tempo, por exemplo, nos pousos e decolagens. Uma licença provisória deve ser emitida à prefeitura por 30 dias, nesse período a equipe fará a fiscalização e ao final do prazo entregar definitivamente.

A secretária de Finanças e Orçamento, Ivete Malmann, assegurou que os procedimentos do RNAV, que funciona como uma carta de voo com uma rota de aproximação do aeroporto traçada, lida com sinal de GPS, que guia o piloto para o pouso em condições pouco favoráveis, também estão em andamento no Departamento de Controle do espaço Aéreo (Decea), no Rio de Janeiro, para que comecem a ser utilizadas. “Estamos nessa fase, são várias as etapas ainda a serem concluídas”, disse.

Também faltam ser regularizadas a ampliação do terminal de passageiros, ampliação da sede do Corpo de Bombeiro no aeroporto, pátio e demais ações estruturais, que, finalizadas, serão encaminhadas à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “Hoje temos a certificação para operação visual e estamos trabalhando para que possamos alterar a certificação e operar via instrumentos”, conclui Mallmann.

O governo federal confirmou a inclusão de Sinop no Programa Nacional de Desestatização (PND). A medida faz parte do processo de concessão à iniciativa privada, que busca contribuir com a modernização da infraestrutura das unidades aeroportuárias. Também foi confirmado um montante de R$ 8 milhões para obras de reestruturação do aeroporto.

Fonte: | 25/11/2017