Sinop

Ministério prevê aumento e projeta mais de 230 mil passageiros por ano no aeroporto de Sinop

A movimentação no aeroporto municipal João Figueiredo pode chegar a 237 mil passageiros por ano em 2027. A projeção é considerada “otimista” e consta em um relatório feito pelo Ministério dos Transportes. Em um cenário considerado “pessimista” é projetada uma movimentação de 200 mil pessoas naquele ano.

O levantamento mostra o crescimento gradual em ambos os cenários. No primeiro, a movimentação passa de 128 mil passageiros, em 2017, para 151 mil, em 2022, 177 mil em 2027, 206 mil, em 2032, até atingir 237 mil, em 2037. No cenário considerado pessimista o crescimento é menor. Sai de 119 mil no ano passado para 137 mil, em 2022, 157 mil, em 2027, 178 mil, em 2032, e, por fim, 200 mil, em 2037.

O órgão não considerou os dados consolidados do ano passado, que mostram um volume de passageiros superior aos dois cenários projetados. Conforme já informou, 144 mil pessoas passaram pela unidade em 2017. O número foi 35,5% menor que 2016, quando 223 mil embarcaram ou desembarcaram no João Figueiredo.

Parte desta queda pode ser creditada à perda, no ano passado, de duas rotas aéreas, ambas operadas pela companhia Passaredo (que não atua mais no município). O primeiro trecho Sinop-Cuiabá foi desativado em fevereiro. No mês seguinte, a rota Sinop-Brasília também deixou de ser ofertada pela companhia.

Agora o aeroporto João Figueiredo também está passando por mudanças, custeadas pela prefeitura, que visam a autorização para funcionamento por instrumentos. O terminal de passageiros está sendo ampliado e ainda serão feitas modificações no pátio de estacionamento de aeronaves e afastamento da cerca.

A reforma do terminal de passageiros do aeroporto sinopense terá investimentos de R$ 538 mil. Serão construídas mais 4 salas para o setor administrativo, ampliação do check-in local, local para instalação de uma guarnição policial, mais guichês para locação de veículos, revisões na parte elétrica, pintura e reformas no banheiro.

 

Além disso, os Indicadores de Percurso de Aproximação de Precisão (PAPI) e a Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA) começaram a funcionar no aeroporto João Figueiredo. No último dia 22, técnicos da Aeronáutica deram início à operação dos equipamentos, que, agora, está sob responsabilidade de uma empresa. Com isso, a unidade aeroportuária passa a ter mais segurança e haverá menos cancelamentos de voos.

A EPTA é composta de três partes: uma estação, que passará a fornecer, de hora em hora, informação oficial sobre as condições meteorológicas do aeroporto; uma sala de Serviço de Informação Aeronáutica (AIS), local equipado com computador e mapas de navegação, onde os pilotos poderão planejar os voos e fazer eventuais mudanças de rotas; e uma sala de rádio, controlada por um operador. Já o PAPI é um conjunto de aparelhos de iluminação com focos calibrados, instalados ao lado da pista, e tem por objetivo ajudar pilotos nos pousos principalmente em dias chuvosos.

O aeroporto é uma das 13 unidades que entrou no estudo para concessão à iniciativa privada pelo governo federal, que foi anunciado pelo presidente Michel Temer. Além de Sinop, o bloco de Mato Grosso é composto pelos aeroportos de Cuiabá, Rondonópolis, Alta Floresta e Barra do Garças.

Fonte:Assessoria | 12/03/2018